quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Os 5 maiores arrependimentos de pessoas em seu leito de morte


Por muitos anos eu trabalhei em cuidados paliativos. Meus pacientes eram aqueles que tinham ido para casa para morrer. Algumas experiências incrivelmente especiais foram compartilhadas. Eu estava com eles nos últimas três a doze semanas de suas vidas. As pessoas crescem muito quando eles são confrontados com a sua própria mortalidade.

Eu aprendi a nunca subestimar a capacidade de alguém para o seu crescimento. Algumas mudanças foram fenomenais. Cada um experimentou uma variedade de emoções, como esperado, negação, medo, raiva, remorso, mais negação e, finalmente, aceitação. Cada paciente encontrou sua paz antes deles partirem, cada um deles.

Quando questionados sobre algum arrependimento que tiveram ou qualquer coisa que faria diferente, temas comuns vieram à tona. Aqui estão os cinco mais comuns:

1 . Eu gostaria de ter tido a coragem de viver uma vida verdadeira a mim mesmo, e não a vida que os outros esperavam de mim.
Este foi o arrependimento mais comum de todos. Quando as pessoas percebem que sua vida está quase no fim e olham para trás, é fácil ver como muitos sonhos não foram realizados. A maioria das pessoas não tinham honrado nem metade dos seus sonhos e morreram sabendo que foi devido às escolhas que fizeram, ou não fizeram .

É muito importante tentar e honrar pelo menos alguns de seus sonhos ao longo do caminho. A partir do momento que você perde a sua saúde, é tarde demais. Saúde traz uma liberdade que muitos poucos percebem, até que já não a tem.

2 . Eu gostaria de não ter trabalhado tão duro.
Isto veio de cada paciente do sexo masculino que eu acompanhei. Eles perderam a juventude de seus filhos e o companheirismo dos parceiros. As mulheres também falaram sobre esse arrependimento. Mas, como a maioria eram de uma geração mais velha, muitos dos pacientes do sexo feminino não tinha sido as pessoas que sustentavam a casa. Todos os homens que companhei lamentaram profundamente gastar tanto de suas vidas na esteira de uma existência de trabalho.

Ao simplificar o seu estilo de vida e fazer escolhas conscientes ao longo do caminho, é possível não precisar da renda que você acha que precisa. E criando mais tempo livre em sua vida, você se torna mais feliz e mais aberto a novas oportunidades, aquelas mais adequados ao seu novo estilo de vida.

3. Eu gostaria de ter tido a coragem de expressar meus sentimentos .
Muitas pessoas suprimiram seus sentimentos a fim de manter a paz com os outros. Como resultado, eles se estabeleceram por uma existência medíocre e nunca se tornaram quem eram realmente capazes de se tornar. Muitos desenvolveram doenças relacionadas à amargura e ressentimento que carregavam, como resultado disso.

Nós não podemos controlar as reações dos outros. No entanto, embora as pessoas possam, inicialmente, reagir quando você mudar a maneira que você está falando com honestidade, no final isso erguerá a relação à um nível totalmente novo e saudável. Ou isso ou ele libera o relacionamento doentio de sua vida. De qualquer maneira , você ganha.

4 . Eu gostaria de ter mantido contato com meus amigos.
Muitas vezes eles não percebem verdadeiramente os benefícios de velhos amigos até estarem em seu leito de morte, e nem sempre foi possível re-encontrá-los nestes últimos momentos. Muitos haviam se tornado tão envolvidos em suas próprias vidas que tinham deixado amizades de ouro escaparem nos últimos anos. Haviam muitos arrependimentos profundos sobre não dar às amizades, o tempo e esforço que mereciam. Todo mundo sente falta de seus amigos quando estão morrendo.

É comum à qualquer um com um estilo de vida agitado, deixar amizades escorregarem, mas quando você se depara com a sua morte se aproximando, os detalhes físicos da vida caem. As pessoas querem colocar suas finanças em ordem, se possível. Mas não é dinheiro ou status que tem a verdadeira importância para eles. Eles querem arrumar as coisas para o benefício daqueles à quem amam. Normalmente, porém , eles estão muito doentes e cansados de gerir esta tarefa. E tudo se resume ao amor e relacionamentos no final. Isso é tudo o que resta nas semanas finais, amor e relacionamentos.

5. Eu gostaria que eu tivesse me deixado ser feliz.
Este é surpreendentemente comum. Muitos não percebem, até o fim de que a felicidade é uma escolha. Eles haviam ficado presos em velhos padrões e hábitos. O chamado “conforto” da familiaridade transbordou em suas emoções, bem como as suas vidas físicas. O medo da mudança os fazia fingir para os outros e para si mesmos, que estavam satisfeitos. Quando lá no fundo, eles ansiavam em rir e serem bobos em sua vida novamente. Quando você está no seu leito de morte, o que os outros pensam de você é muito diferente do que está em sua mente. Como é maravilhoso ser capaz de relaxar e sorrir novamente, muito antes de você estar morrendo .

A vida é uma escolha. É a sua vida. Escolha conscientemente, escolha sabiamente, escolha honestamente. Escolha a felicidade.

**Bronnie Ware, enfermeira que durante anos cuidou de pacientes no leito de morte, escreveu o livro “The Top Five Regrets of the Dying – A Life Transformed by the Dearly Departing”, que, como o título diz, trata dos cinco arrependimentos mais comuns manifestados pelas pessoas antes de morrerem.


1 comentários:

Robson disse...

E a Vida Sentimental Errada?

Uma questão que ela não citou, para não criar polêmica, mas que tenho certeza de que muitos relataram para ela, é a seguinte: Me arrependo de não ter me esforçado mais para ser feliz na vida sentimental. Isso é fato!

Tanto homens quanto mulheres, que as vezes se unem porque a mulher engravida, acabam não se separando mais porque querem dar bom exemplo aos filhos, estando ao lado deles ao menos até a fase adulta.

Alguns, quando os filhos ficam adultos, se separam e vão atrás da verdadeira felicidade sentimental, namorando com alguém que realmente gostem de verdade, e sendo muito felizes, enquanto outros, com medo de arriscar e ficarem sozinhos, acabam se conformando com a escolha errada que fizeram no passado, e ficam com o parceiro até que não exista mais forma de continuar aturando-o.

Podemos ver como exemplo, o que ocorre com alguns ex-famosos, que depois dos 40 anos, com os filhos já adultos, se separam, vão namorar, e muitos ficam com sorriso reluzente de tanta felicidade, pois agora sim, estão usufruindo da vida sentimental que não tiveram no passado, e podem aproveitar de forma plena, afinal, ninguém vai engravidar mais né. hehehehehe. Talvez comece aí realmente a melhor idade.

Filhos são uma bênção, mas infelizmente, quando você acaba tendo um filho com a pessoa errada, você, durante uns 20 anos, joga fora sua vida sentimental, não têm jeito. Se você fugir da responsabilidade e ficar longe do filho, passará a vida com peso na consciência, e isso pode afetar sua saúde. Se você tiver caráter e passar ao lado do seu filho todos estes 20 anos, sua vida sentimental será frustrada, pois seu corpo e seu coração pedirão desesperadamente, uma nova pessoa para amar e ser feliz, mas sua mente sensata o obrigará á ficar ao lado do seu filho, acompanhando todo seu crescimento.

Existem milhões de brasileiros nesta situação, e eu sou um deles. Fiquei com minha mulher por carência, mas o abismo entre nós nunca permitiu uma relação ideal. Eu formado e inteligente, ela com a segunda série do ensino fundamental, e 1 ano mais velha que eu, eu vindo de classe média, ela de uma situação miserável, eu nunca tive outras mulheres na vida, ela já tinha namorado sério 4 homens e transado com 11 homens diferentes, eu sempre me cuidei para me manter bonito e em forma, ela nunca cuidou direito da saúde, ou seja, vidas muito opostas, ela vinha de uma vida de pobreza, muito sexo e desleixo com a saúde, enquanto eu vinha de uma vida sem sexo, muito trabalho, e muito cuidado com a saúde.

Qualquer parente mais próximo, quando analisa nossa relação, as vezes me pergunta, como eu, sendo bonito, rico, em forma e inteligente, continuo ao lado de uma mulher descuidada, pobre, com familiares problemáticos, fora de forma, e tão teimosa e sem inteligência, e eu realmente concordo que é um absurdo, mas aí digo: Olha bem esse meu filho, lindo, querido, simpático, inteligente e carinhoso. Pois é, está aí meu motivo. O parente entende na hora e não argumenta mais nada. Continuo com ela por um motivo de coração.

Eu amo meu filho mais que todas as coisas deste mundo. Abaixo de Deus, é e sempre será o meu segundo maior amor, em toda a minha vida. Poucos pais amam um filho de verdade, do jeito que eu amo, á ponto de deixar tudo de lado para estar ao lado dele. Isso é o verdadeiro amor, abnegar até mesmo da felicidade sentimental, para poder estar sempre ao lado do filho amado. E Deus sabe o quanto o amo acima de tudo, e que meu amor pelo meu filho é sincero, e sempre será.

Espero sinceramente, diante de Deus, que daqui á alguns anos, quando meu filho estiver adulto, eu possa também ser feliz na vida sentimental. Quando isso acontecer, aí serei completamente feliz. Já tenho 2 grandes amores: Deus e o meu filho. Quando tiver também uma mulher para amar, que combine comigo, terei a tão sonhada felicidade plena, com a qual todos os seres humanos do planeta tanto sonham. Muitos conseguem, outros não, mas eu tenho fé em Deus, que vou conseguir.

Abraço!

Template by:

Free Blog Templates