sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Sem arrependimentos


Não quero no meu leito de morte me arrepender de nenhum sentimento que ficou pra trás, pela carta não entregue, pelo amor perdido, pela palavra dita no momento errado, pelo que não vivi e deixei de viver pra correr atrás de outras coisas sem importância, pelo tempo que passei longe de minha família e amigos queridos.
Sempre penso nisso.
Não quero deixar nada em aberto. Quero dizer tudo que tenho pra dizer, sentir tudo que tenho que sentir, ver tudo que tenho pra ver, viver e viver.
Ainda tenho certos receios, medos e pudores, mas vou criar coragem para continuar minha jornada.

Viver o que tenho pra viver
Amar que eu tenho pra amar
Sorrir o tanto que quero sorrir
Chorar tudo que tenho pra chorar.
Ainda tenho tantas coisas engasgadas na minha garganta.
Eu quero mesmo de todo meu coração dizer tudo o que vim pra dizer.
Tem tanto sentimento guardado aqui comigo.
Tanto desabafo!
Tanto amor
Me ajude por favor.

Aqui comigo as coisas sempre foram de muito...
Que eu possa cumprir todo esse anseio que me sufoca e as vezes até machuca.
Que vontade de gritar.

Não se assuste, eu sempre fui assim, puro sentimento.
Quase uma explosão de tudo que há em mim.
Sacia-me. 

 Será que isso tudo é possível sem magoar alguém?
>>Deuzijane<<


0 comentários:

Template by:

Free Blog Templates